Epilogue / Epílogo

Shahnameh, Epic of the Persian Kings

Epilogue of the Warrior

Dante's Divine Comedy / A Divina Comedia de Dante

Epilogue

Rev. Jan 2013

             As mentioned before, I am presently in the process of writing the story of my family, which was intended initially for private publication. That is for friends and family, and very especially for my decedents. Would I one day intend to actually publish for the public at large? I don’t know yet.

            Many obstacles would have to be carefully crossed beyond the questions of its acceptance from the point of view of literary content or its interest for the public at large. For instance, would I like to see strangers reading my thoughts and my memories? This would be absolutely against my natural tendencies of cultivating privacy. Additionally, in certain places where my family is known, I would have to be careful not to be encouraged by some and later fall to the mercy of specially biased criticism. I have very delicate sensibilities so I have not yet decided what to do.

       I know that I suffer from a conflict of purpose. On one side I see it as my life’s mission to defend the public’s memory of my father, and on the other side, what is there on the other side?

Would I be frozen by fear? No, certainly not. I have always practiced courage.

             To start with, nothing will stop me from composing and organizing my material in a way which is satisfactory to me.

                          The idea of writing “The Horizon Saga”, a family saga out of Brazil, came to me in a moment of reflexion when I thought that if someone did not write my father’s life story from the point of view of his immediate family, the only version that would exist about his person would be the one cruelly exposed by the press, distorted sensationalism and by those who wanted to denigrate us, for various reasons, and the local myth created about the person of my father. We the three children and our mother suffered a lot in hearing the falsehoods that surrounded us. And therefore, I figuratively looked about myself and realized that if I did not do it, myself, nobody else would do it. And, we would never trust others with our memories.

             I was also very inspired and touched by the book by Judith Ribeiro de Assis, in declarations to Jefferson de Andrade, entitled: The Story of a Tragic Love, in which the author declared it to be her life time’s work.

             I also think this to be my life’s mission, and I could not possibly leave my father abandoned and his memory ill spoken of, as he was a fabulous person, and much loved by many that surrounded him.

             I can see that my brother and sister are frightened by the possible impact of my work, and I am too. But I have to do it and I am trying to do it, very carefully so as not to hurt the sensibilities of anyone in the family and, at the same time, relate the truth from the point of view of the child who I was during some of the events that I relate, that one day grew up and continued to tell the tale.

              My original version is being written in English and in prose, not poetry, as this little book. Before starting it I thought a lot about the choice of language, as due to my studies and life’s experience I fortunately could write it in either the Portuguese, my mother’s tongue, or in English, due to my studies and literary exposure. Finally I decided for English due to the doubtful motive that I expected to have my literary capability specially questioned in my country of birth due to the fact that there, for being an heiress, I would be expected to be also incapable and stupid. So I decided to show that I could write in two languages. But I also took in consideration the fact that my descendents will not be necessarily versed in the language of my country of origin, as I have set up deep roots in my country of choice.

            Coming back to this little book of poetry, “The Warrior”, a life’s story in poetry, of which I wrote both versions of English and of Portuguese. So this is really a work of bilingual authorship.

ALP Gouthier

London, 2011

Epilogue /Epilogo

Camões, Lusiadas

 Epílogo

Rev. Jan 2013

             Eu estou escrevendo a minha versão da historia de minha família, que foi como esse inicialmente destinado a edição particular. Isso quer dizer, para família e amigos, e especialmente para os meus descendentes. Se algum dia eu quererei lançá-lo ao grande publico? Ainda não sei. Muitas barreiras terão que ser cuidadosamente atravessadas além da aceitação dele do ponto de vista de sua qualidade literária ou o seu interesse para o publico externo. Por exemplo, eu gostaria de ver estranhos lendo os meus pensamentos e as minhas memórias?  Isso seria absolutamente contra as minhas tendências naturais de cultivar a privacidade. Adicionalmente, em certos lugares onde a minha família é conhecida, eu teria de ter cuidado de não ser somente encorajada por alguns para depois cair a mercê de um crivo especialmente critico. Minhas sensibilidades são muito delicadas e eu ainda não resolvi o que fazer.

        Eu sei que existe em mim um conflito de propósitos. De um lado eu vejo como minha missão de vida defender a memória de meu pai e do outro lado, o que há do outro lado? Seria eu congelada pelo medo? Não, isso não. Eu sempre pratiquei a coragem. Primeiramente, nada me impedirá de compor o meu material e organizá-lo  de modo que creio satisfatório.  

                A ideia de escrever “A Saga do Horizonte”, uma saga familiar brasileira, me veio num momento de reflexão no qual pensei que se alguém não escrevesse algo sobre a vida de meu pai, do ponto de vista de sua família imediata, a única versão que existiria sobre de sua pessoa seria aquela cruelmente descrita pela imprensa, destorcida pelo sensacionalismo e por aqueles que queriam nos denegrir por vários motivos, e pelo mito local criado em volta da figura de meu pai. Nós três filhos e nossa mãe também sofremos muito por ouvir as inverdades que nos rodeavam. E portanto, eu figurativamente olhei em torno de mim mesma e vi que  se eu não o fizesse, ninguém mais também o faria, ou não permitiríamos ou contribuiríamos para que ninguém mais o fizesse.  

           Eu fui também inspirada pela obra de Judith Ribeiro de Assis em depoimento a Jeferson de Andrade, intitulada Anna de Assis, Historia de um Trágico Amor, que muito me comoveu, no qual  a autora declara ser a tarefa de sua vida. Eu igualmente vejo isso como a minha tarefa pois eu poderia deixar o meu pai abandonado e sua memória mal falada já que ele foi uma pessoa fabulosa e bem querido por muitos que com ele conviveram. Eu vejo também que meus irmão e minha irmã têm medo do possível impacto da minha obra, e eu também tenho. Mas preciso fazê-lo e estou tentando fazê-lo, com todo o cuidado para não ferir as sensibilidades familiares sem ao mesmo tempo não faltar com a verdade, como vista por mim, uma criança durante muitos acontecimentos que relato e que um dia cresceu e continuou a contar a historia.

            A minha versão original esta sendo escrita em inglês, e em prosa e não poesia como nesse livrinho. Antes de iniciar eu pensei muito sobre a escolha de idioma, pois devido aos meus estudos e experiência de vida felizmente poderia compor tanto no meu português natal quanto em inglês da minha formação acadêmica e literária. Finalmente resolvi pelo inglês pelo duvidoso motivo de que já que eu esperava que minha capacidade literária seria tão questionada e duvidada, especialmente no meu pais de origem, pelo simples motivo de ser eu apenas uma herdeira deveria também ser incapaz e burra. Então resolvi mostrar que conseguia realizar este feito em duas línguas. Mas também considerei que alguns dos meus futuros leitores, dentro dos mais importantes para mim, os meus descendentes, possivelmente não serão necessariamente versados no idioma do meu pais de origem, já que criei raízes profundas no meu pais de escolha.

          Voltando a esse pequeno livro de poesias, “A Guerreira”, historia de uma vida em poesia, eu mesma compus as duas versões de português e de inglês, portanto é mesmo, um livrinho de autoria bilíngüe.

 ALP Gouthier

 Londres, 2011

                

Bibliography/Bibliografia

Cervantes, Don Quixote de la Mancha

Bibliography/ Bibliografia

Of: THE WARRIOR,                                              

De: A GUERREIRA

A Bilingual Poetry Collection                           

Coletânia Bilingue de Poesias By ALP Gouthier, 2013                                             

 

 FRENCH LOVE POEMS

Translated by Alistair Elliot, 1981

 

GONSALVES DIAS

Selecao de Jose Carlos Garbuglio, 1991

 

 THE CANDLE AND THE FLAME: POEMS

By GEORGE SYLVESTER VIERECK, 1912  

I Juca Pirama, Gonsalves Dias

Write a new comment: (Click here)

SimpleSite.com
Characters left: 160
DONE Sending...
See all comments

| Reply

Latest comments

24.04 | 11:26

The Battle is a very impressive poem for me. I really like this. I also share this my friends during my https://www.goldenbustours.com/new-york-ny-tours/

...
23.06 | 23:47

Hi Anna ! Congratulations for your site ! Very touching, the passage in which you expose your sorrow for not being able to cooperate with your father...

...
15.02 | 18:09

Boa tarde, agradecia o seu contacto para o meu email, pois precisava de esclarecer um assunto relativo a um Prédio em Lisboa. Melhores cumprimentos,

...
21.01 | 17:57

Congratulations! Alls sucess

...
You liked this page
Hi!
Make your own website like I did.
It's easy, and absolutely free.
AD